terça-feira, 26 de julho de 2016

16º Dia - Código JMR



VENÇA A RECLAMAÇÃO, VIVENDO VOTOS
Jó 22:27 / Provérbios 20:25

O voto é uma disciplina espiritual na qual firmamos um compromisso diante de Deus ou nos abstemos de algo que seja lícito. Um voto nunca é uma troca com Deus, mas um ato de nos aproximarmos Dele; uma atitude de adoração e entrega, sempre ligado à intensidade na oração. O voto não muda quem Deus é, mas nos transforma profundamente. Realizar um voto é uma prática bíblica encontrada tanto no Antigo como no Novo Testamento. Jacó realizou um voto a Deus em um momento muito difícil de sua vida (Gênesis 28.20-22). No Novo Testamento, vemos que essa prática, comum ao povo de Israel, se estendeu à igreja de Cristo. João Batista e Paulo fizeram votos a Deus (Mateus 3.1,4 e Atos 18.18), deixando-nos o exemplo de consagração a Ele. As Escrituras nos ensinam que o voto é uma ação voluntária daquele que o faz diante de Deus. Porém, uma vez firmado, deve ser cumprido com fidelidade e entrega. Este é um ponto muito importante, pois, por influência de nossa carne, temos a tendência de desistir, desanimar e parar no meio do caminho. Ao fazermos um voto diante de Deus, também devemos avaliar nosso coração e deixar que seja tratado por Ele durante esse processo. Jesus criticou duramente os fariseus, que se vangloriavam de seus jejuns e práticas religiosas, porém tinham o coração longe de Deus (Marcos 7.6). O voto espiritual aceito por Deus nasce de um coração quebrantado e íntegro, que não busca reconhecimento de outros ou é motivado pela vaidade. Você pode se aprofundar ainda mais em seu relacionamento com Deus por meio dessa disciplina espiritual, que o levará a um tempo ainda mais intenso de oração. O que o Senhor pede a você hoje? Existe algo que precisa ser entregue? Um compromisso a ser firmado? Não tenha medo em responder positivamente ao chamado de Deus para a sua vida. Cumpra seus votos a Deus, honre-O e seja transformado intensamente, para o avanço do Seu Reino.

Oração: Deus, ajude-me a cumprir os votos que fiz ao Senhor com fidelidade e amor. Que eu esteja com os ouvidos atentos para responder àquilo que o Senhor tem me pedido. Leve-me a um relacionamento ainda mais íntimo com o Senhor, por meio da Sua Palavra, da oração e da minha entrega. Em nome de Jesus, amém!





segunda-feira, 25 de julho de 2016

15º Dia - Código JMR



VENÇA O PECADO DA RECLAMAÇÃO
Êxodo 15:24

A reclamação não é um assunto novo. Na verdade, trata-se de um tema bastante explorado nas Escrituras Sagradas. Adão reclamou para Deus sobre sua esposa. O povo de Deus reclamou de Moisés. E se o homem tão facilmente reclama da própria esposa e do líder, como não reclamará do próximo? Infelizmente, reclamar é um pecado que se tornou mau hábito. Porém, podemos escolher trocar a reclamação pela adoração, gratidão e satisfação em Deus! O ressentimento gera a reclamação que, quando não tratada, transforma-se em murmuração. É por isso que pessoas feridas precisam tanto ser tratadas, pois, do contrário, ferirão e contaminarão a si mesmas e a seu ambiente. Todo ressentido não tratado se torna um murmurador, um reclamador de tudo e de todos. Esta postura, aos poucos e implacavelmente, mata seu relacionamento com Deus e com as pessoas. Você tem uma missão grande demais a realizar! Não tem tempo a perder reclamando daquilo que outros não fizeram por você. Pare de lamuriar, reclamar e choramingar. “Murmurar” é definido como soltar queixumes, lastimar-se, queixar-se em voz baixa, falar mal, apontar faltas, tomar mau juízo de alguém ou de alguma coisa. Foi exatamente o que aconteceu com o povo de Israel, e o Senhor indignou-se ante a atitude do povo: Até quando esta comunidade ímpia se queixará contra mim? Tenho ouvido as queixas desses israelitas murmuradores (Números 14.26-27). Murmurar contra Deus e as pessoas é grave pecado, pois é o mesmo que afirmar: “Se eu fosse Deus, faria tudo diferente.” Quando murmura, você deixa seu lugar de servo e se coloca no lugar de Deus. Nosso Deus é misericordioso e providente. Conduz Seu povo e supre todas as suas necessidades e, por isso, reprova a murmuração. Ela é um sinal claro de incredulidade, ingratidão e do agir irrefletido, pois, ao murmurar, você faz o oposto de crer. Seja leal ao Seu Deus, à sua família e à sua igreja. Pare de reclamar de forma covarde, vergonhosa e sorrateira. Pare de falar entre os dentes sobre sua insatisfação. Homens e mulheres de verdade oram a Deus e conversam com as pessoas certas. Não vivem à margem, corroendo seu próprio coração com a destruidora atitude da reclamação. Você não mudará realidades por meio da reclamação, mas com a oração a Deus.



VENÇA A RECLAMAÇÃO, VIVENDO GRATIDÃO
Salmos 116:17-18 / 1 Timóteo 2:1

Com Jesus, sempre existe o domingo da ressurreição! A negra noite de sexta-feira, com dúvidas e sofrer, nunca será nosso fim. Por isso, podemos sempre ter a perspectiva da gratidão. Ela nos lembra da abundância da vida em Jesus. A gratidão alinha nossa atitude de louvor e aniquila uma atitude egoísta. A gratidão nos faz louvar conforme o Senhor deseja, pois Ele nos pediu um louvor que vem do coração, oferecido com a voz e os lábios do adorador que serve em espírito e em verdade. Também mostramos nossa gratidão a Deus ao realizar atos que O agradem. Obedecer a Deus demonstra a gratidão de pessoas resgatadas pelo sacrifício de Jesus. Paulo frisa bem este fato na sua carta a Tito. Nela ele fala sobre a obediência a Deus em termos práticos: “Sejam obedientes, estejam sempre prontos a fazer tudo o que é bom, não caluniem a ninguém, sejam pacíficos e amáveis e mostrem sempre verdadeira mansidão para com todos os homens” (Tito 3.1-2). Paulo não está ditando regras ou impondo a sua própria vontade, mas descreve a conduta de pessoas realmente convertidas a Cristo, dedicadas a Deus e determinadas a fazer Sua vontade. A carta a Tito mostra que a gratidão brota de nosso coração porque Deus nos mostrou Sua bondade ao nos salvar (Tito 2.11), porque temos uma esperança real em Cristo (Tito 3.7). Somos gratos porque Jesus se entregou por nós (Tito 2.14). A gratidão também é fruto de sabermos que Deus nos purificou para sermos um povo particularmente seu, dedicado à prática de boas obras (Tito 2.14). Somos gratos porque recebemos a renovação do Espírito Santo (Tito 3.5-6). Por fim, somos gratos porque fomos feitos herdeiros de Deus (Tito 3.7). Diante de todas essas verdades, como não demonstrar gratidão por meio da obediência? A nossa gratidão nos motivará a orar e adorar a Deus, a viver por Ele e a divulgar as boas-novas a todos ao nosso redor. Deus merece isso e muito mais! Quando sua vida for marcada pela gratidão, isso ficará evidente em suas palavras, ações e atitudes. Celebre com gratidão o poder da ressurreição!


Oração: Deus, ajude-me a cada dia viver com um coração cheio de gratidão, servindo com alegria, apreciando e agradecendo sempre ao Senhor. Ajude-me a expressar gratidão por meio de um louvor sincero, obediência e proclamação do Evangelho. Em nome de Jesus, amém!





domingo, 24 de julho de 2016

14º Dia - Código JMR



VENÇA A MENTIRA, VIVENDO SERVIÇO
Apocalipse 1:5-6 / João 13:4-5 / 1 Coríntios 12:7

A única maneira de servir a Deus é por meio de pessoas. Por isso, o ministério, antes de tudo, é uma questão de mordomia e de adoração a Deus. Jesus disse que quem quisesse se tornar importante deveria ser servo (Marcos 10.43). O ministério de todos os crentes é uma doutrina bíblica fundamental. Entenda que o ministério de sua igreja não é apenas do pastor. Ele é seu também, independentemente de seu tempo de conversão ou da função que exerça ali. Você foi salvo, comissionado e dotado de dons e habilidades. Portanto, tem um ministério, dentro e fora da sua igreja. Você foi criado para servir a Deus e às pessoas, então, é um ministro de Deus, um ministro da reconciliação, conforme dizem as Escrituras. Ao final de todas as coisas, Deus lhe fará duas perguntas a respeito de sua vida. A primeira delas é: o que você fez com meu Filho Jesus? E a segunda: o que você fez com os recursos e habilidades que lhe confiei? Nessas duas perguntas está o cerne de nossa existência. Você não foi criado apenas para consumir recursos e viver para si mesmo. Deus o criou para fazer diferença por meio de sua vida e serviço, deixando um legado espiritual e humano. Essa missão se inicia na igreja e de lá para o mundo, pois na igreja servimos uns aos outros e, juntos, servimos à cidade, ao país e a outras nações. Servir com o coração aberto e sem reservas foi o exemplo deixado por Jesus. Não seja omisso ou indiferente à realidade de que Deus o chama e o capacita diariamente para realizar o ministério. Esse chamado independe da função, do lugar ou do título alcançado. Independe de seu trabalho ser remunerado ou não, integral ou parcial, ou mesmo se há méritos e reconhecimentos dos homens ou não. Qualquer tarefa, não importa o quanto seja pequena, é uma oportunidade para servir e crescer. É, também, uma chance para chamar pessoas para estarem ao seu lado, motivando e contagiando outros pelo desejo de servir ao Senhor. Lembre-se: o serviço é a razão pela qual ainda estamos aqui!

Oração: Meu Deus, quero servi-Lo para todo o sempre, servindo às pessoas que coloca em minha vida, amando e cuidado delas para o Senhor. Meu Pai, ensine-me a servir como Seu Filho serviu, deixando um legado e inspirando pessoas. Em nome de Jesus, amém!





sábado, 23 de julho de 2016

13º Dia - Código JMR



VENÇA A MENTIRA, VIVENDO ORAÇÃO
Filipenses 4:6 / Tiago 5:15

De forma bem objetiva, orar é comunicar-se diretamente com Deus por meio de Jesus Cristo. A verdadeira oração consiste em expressar nossa devoção ao Pai celestial, buscando um relacionamento pessoal e sem barreiras com Ele, convidando-O a falar conosco, enquanto falamos com Ele. A oração é a forma de diálogo mais profunda que uma pessoa pode experimentar. Por isso, somos ensinados: “Dediquem-se à oração” (1 Pedro 4.7). Orar é uma atitude de fé. Ao orarmos a Deus, precisamos nos lembrar das palavras de Jesus: “Tudo é possível àquele que crê” (Marcos 9.23). Será que Ele exagerou quando disse assim? Penso que não! Creio que Jesus foi pleno e verdadeiro no que disse, como sempre foi e será. Se Ele, que é a verdade, assim disse, podemos crer. Aquilo que é impossível em nossa perspectiva é possível em Deus, em oração. Quando orar, exerça fé. Peça, sem dúvidas em seu coração. É assim que Deus deseja que nos apresentemos a Ele. A oração que nasce de um coração adorador e cheio de fé sabe também que é preciso saber o que pedir. Este é um aprendizado para a vida. As Escrituras nos ensinam que, muitas vezes, deixamos de receber o que pedimos porque o fazemos por motivações erradas, para gastar em nossos próprios prazeres (Tiago 4.3). Nossas orações devem ser feitas para glória de Deus e para abençoar vidas, inclusive as nossas. Que Deus ouça sua oração de quebrantamento e confissão e traga um grande avivamento para sua vida, família e igreja. Assim, você será a resposta pela procura de Deus por aqueles que O buscam. “Procurei entre eles um homem que erguesse o muro e se pusesse na brecha diante de mim e em favor desta Terra, para que eu não a destruísse, mas não encontrei nenhum.” (Ezequiel 22.30). Que seja você este homem ou esta mulher de oração de fé, aquele a quem Deus está à procura para interceder por este mundo. A oração sempre será sua maior fonte de força e poder. Diga “sim” ao Seu chamado!

Oração: Meu Deus, ajude-me a orar conforme o Seu coração, com adoração, fé e motivações corretas. Ajude-me a priorizar tempo para o Senhor e a me aprofundar no meu relacionamento contigo. Em nome de Jesus, amém!





Traduza a Página para seu Idioma